Thursday 14th of December 2017

logo

Home Artigos Gestão RESPONSABILIDADE AMBIENTAL
RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrator   
Seg, 07 de Junho de 2010 16:56

Está confirmado: Responsabilidade Ambiental é um bom negócio para as empresas!  Além de ser uma preocupação cada vez maior por parte da sociedade, segundo analistas, medidas dão retorno financeiro às empresas. Investimento da indústria em controle ambiental saltou 86,4% de 1997 a 2002, diz IBGE.


Com a sustentabilidade no centro do debate mundial, empresas brasileiras aproveitam a oportunidade de serem identificadas com um país rico em recursos naturais para atrair mais consumidores e investidores.

 

Frente aos alertas de aquecimento global e esgotamento de recursos, as companhias têm feito investimentos em tecnologias limpas, programas de redução ou anulação de emissões de carbono, reciclagem, conscientização de funcionários e restrições a clientes que não respeitam o meio ambiente.

Analistas ressaltam que as medidas não são apenas bom-mocismo e afirmam que elas dão retorno financeiro às empresas. Existem já índices em bolsas de valores que destacam as companhias mais responsáveis. "As tendências de preocupação ambiental vêm aumentando substancialmente e o Brasil é um foco. A questão (da preservação) da Mata Atlântica e da Amazônia vai parar lá fora e as empresas, como as papeleiras, são muito cobradas", disse à Reuters Cibele Salviatto, especialista em sustentabilidade e responsabilidade corporativa da consultoria Atitude.

 

O professor de governança corporativa da Trevisan Escola de Negócios e diretor da Apimec Roberto Gonzalez lembrou que a pressão externa é ainda maior. "Na Europa, por exemplo, eles queriam saber de onde vinha o aço de todos os produtos comprados do exterior, se havia impacto ambiental na produção", relatou. "Outro setor bastante cobrado é o petroquímico, que causa alto impacto ambiental e os clientes europeus começaram a exigir responsabilidade sócio-ambiental".

 

Investimentos ambientais dobram

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 1997 a 2002 o investimento da indústria em controle ambiental saltou 86,4%, para R$ 4,1 bilhões. Nelson Pereira dos Reis, diretor de Meio Ambiente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), acredita que a tendência se manteve nos últimos anos. "Aquelas empresas que já tinham investimento estão se estabilizando, mas aquelas que não, estão investindo. Diria que, nos últimos dez anos, esse investimento mais que dobrou".

A Companhia Vale do Rio Doce, por exemplo, destinou para a área ambiental, em projetos e ações de gestão, R$ 317 milhões em 2006 e pretende aumentar a quantia para R$ 422 milhões este ano. Outra importante empresa brasileira de alto impacto ambiental, a Petrobras inclui em suas diretrizes de sustentabilidade pontos como a utilização de energias renováveis. A petrolífera é uma das cerca de 30 empresas que integram atualmente o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE), criado na Bovespa em 2005.

Para participar, as empresas respondem um questionário com perguntas sobre sua atuação em áreas como governança corporativa e meio ambiente. Mas não apenas empresas com alto impacto ambiental buscam espaço na vitrine da sustentabilidade. Outros setores investem no tema para ter uma boa imagem junto aos clientes. Um exemplo é o Itaú, único banco latino-americano que faz parte do Dow Jones Sustainability Index desde a criação desse índice na bolsa dos EUA, em 1999.

Após ter ingressado no índice, o banco aumentou as ações de proteção ao meio ambiente e adotou os Princípios do Equador - conjunto de diretrizes sócio-ambientais usadas por instituições financeiras para a concessão de financiamentos acima de 50 milhões de dólares. "Usamos para financiamentos de US$ 5 a US$ 10 milhões. Já rejeitamos financiamentos de empresas que não queriam se adequar à responsabilidade ambiental", disse Geraldo Soares, superintendente de Relações com Investidores do Itaú. "Essa posição cria uma cultura entre as demais empresas, que vão se adequar ao verem que têm acesso restrito", afirmou. É também uma garantia de menor inadimplência, segundo ele, já que uma empresa penalizada por desrespeito a leis ambientais representa risco maior de não honrar um financiamento.

 

FONTE: www.administradores.com.br

Última atualização em Qua, 25 de Agosto de 2010 09:20
 

Fornecido por Joomla!. Designed by: Free Joomla 1.5 Theme, ecommerce hosting. Valid XHTML and CSS.